Sistema de Diretórios no Linux

Este artigo é sobre o sistema de diretórios no Linux.

Diferente do Windows, o sistema é bem abrangente e maleável. No Windows, tudo é instalado no mesmo local, tanto os arquivos de programas como as libraries. Já no Linux existe um padrão mas o usuário pode alterar tudo completamente.

Segue uma lista comentada dos diretórios no Linux:

  • /bin: (binary) armazena os binários dos programas
  • /boot: programas que iniciam o sistema ao ligar (boot) à máquina
  • /dev: (device) lista os dispositivos de hardware conectados à máquina (físicos e/ou virtuais)
  • /etc: (etcetera) arquivos gerais de configuração tanto de programas padrões do sistema como de programas instalados posteriormente à instalação.
  • /home: diretório de usuário. Cada usuário tem um diretório sob o home para guardar seus arquivos pessoais. Já vem com uma estrutura padrão com pastas para Documentos, Músicas e Vídeos, por exemplo, mas todas elas podem ser renomeadas/alteradas/removidas sem problema. O diretório home também pode ter pastas genérias (para acesso via rede, por exemplo) sem pertencer a um usuário.
  • /lib: (library) bibliotecas usadas pelos programas instalados na máquina
  • /lost+found: (achados e perdidos) arquivos soltos no sistema. Quando ocorre um crash no sistema ou uma desinstalação incompleta de programa, por exemplo, alguns arquivos podem perder sua vinculação com o programa a que pertencem. O kernel, ao enxergá-los, move-os para lost+found pois nenhuma rotina do sistema ou programas apontam para esse diretório.
  • /misc: (miscellaneous) parece com o etc mas é mais indicado para armazenar rotinas ou arquivos fora do padrão como, por exemplo, um programa feito pelo próprio usuário. Também pode ser usado para armazenamento de arquivos, como uma pasta de backup, pois não tem vinculação com rotinas padrões do sistema.
  • /mnt: (mount) lista as partições e sistemas de arquivos do sistema. Partições padrões como / e home são montadas automaticamente na inicialização do sistema, outras, como partições para backup em que não há sistema operacional instalado, podem ser montadas manualmente ou automaticamente usando cron.
  • /opt: (optional) alguns programas perguntam ao usuário onde devem ser instalados. Este diretório é uma boa opção pois não fica sob a home do usuário e facilita o controle do usuário. O NetBeans é um exemplo de programa que pede um local para ser instalado. Normalmente, ele aponta para a home do usuário mas muitos o instalam na opt. Progamas padrões do sistema não são instalados aqui.
  • /proc: (processes) armazena arquivos que monitoram e/ou armazenam informações sobre os daemons que estão rodando no sistema.
  • /root: (raiz) o diretório home do usuário root.
  • /sbin: (super-binary) o diretório bin do usuário root. Programas que tem permissões de acesso somente para o root armazenam seus binários neste diretório.
  • /tmp: (temporary) armazena arquivos temporários que os programas usam para executar ações on-the-fly requeridas por outras tarefas. O diretório é limpo quando se faz um reboot pois sua finalidade é servir como uma memória swap para as aplicações e não servir como persistência de dados.
  • /usr: (user) é um diretório de sistema alheio ao sistema. Permite armazenar binários de programas, por exemplo, e a finalidade deste diretório é servir como local para instalação de programas que não são do sistema. A priori, o diretório bin armazenaria os binários dos programas naturais/padrões do sistema e o /usr/bin os binários dos programas que o usuário vier a instalar. Também tem a finalidade de armazenar arquivos que devam ser acessados por todo e qualquer usuário.
  • /var: (variable) logs do sistema e programas em geral.

Veja que não há um padrão rígido. Você pode instalar um programa na sua pasta home ou na opt e cada situação tem suas implicações.

Como exemplo, cito o programa da Receita Federal para fazer e transmitir a declaração do Imposto de Renda. Se você instalar o Receitanet (que faz a transmissão) no opt (que é o que o programa tenta fazer), vai ter problemas de permissão e não vai conseguir enviar. Isso porque o diretório opt não tem as permissões necessárias, você pode alterá-las para conseguir usar o programa ou instalá-lo na sua home.

Bom, a idéia aqui é que a listagem sirva como referência, apenas, ok?

É isso aí.

Abraço.

Anúncios

Prefeitura Municipal de Guarulhos disponibiliza distro voltada à educação especial e com foco na acessibilidade: Guarux

Abaixo vai um email que recebi com uma informação muito interessante sobre o Guarux, um sistema operacional baseado no Ubuntu, voltado para a administração pública.É o Open Source mostrando sua força. Incluir digitalmente pessoas com deficiência visual, tetraplégicos e crianças com Transtorno de Desenvolvimento Global. Este é o objetivo do Guarux, solução de Tecnologia da informação (TI) que foi disponibilizada neste sábado, 27, durante o Festival Latino Americano de Instalação de Software Livre de Guarulhos. Criado em 2009 pela Prefeitura Municipal de Guarulhos a partir do Linux Ubuntu, a utilização do sistema operacional gerou uma economia de R$ 1,2 milhão aos cofres públicos do município. Em Guarulhos, o sistema é utilizado por cerca de 22 mil usuários da prefeitura. Além disso, o Guarux atinge uma grande parcela da população através dos centros de inclusão digital, que na cidade são chamados de Telecidadanias. Estes locais têm mais de seis mil acessos mensais e mais de sete mil usuários cadastrados. Os Telecidadanias fornecem ainda cursos profissionalizantes e cursos básicos de informática. Com a disponibilização do Guarux no Portal do Software Público Brasileiro, o diretor do Departamento de Informática e Telecomunicações da administração da cidade paulista, Leandro Gramulha, espera que outros municípios possam se beneficiar das ações que foram desenvolvidas e economia gerada. “Queremos ajudar outras prefeituras e colaborar com outros projetos de inclusão digital. Também queremos receber ajuda e debater a evolução da ferramenta”, disse. As prefeituras de Matão e Osasco, do estado de São Paulo, já utilizam a solução em seus projetos de inclusão digital. A Solução Guarux é uma distro voltada à educação especial ou até mesmo a usuário final, visando, principalmente a acessibilidade de deficientes visuais e tetrapelegia com mecanismos(jogos) próprios voltados ao desenvolvimento de pessoas com Síndrome de Down e TDG - Transtorno Global do Desenvolvimento. (Autismo, Asperger, Síndrome do cromossomo X, entre outros). Além disso, contém uma gama de softwares educacionais e pedagógicos que auxiliam os estudos de crianças, adolescentes, adultos e docentes bem como profissionais na área da saúde que estejam envolvidos com estes temas. Principais softwares embarcados: - Eviacam (interface que permite ao usuário mover e clicar o ponteiro do mouse utilizando movimentos da cabeça, o movimento é acionado por uma web cam. http://viacam.org) - Orca (Leitor de tela destinado a deficientes visuais, o software fornece acesso a aplicativos e kit ferramentas que suportem AT-SPI como o ambiente GNOME, informando ao usuário, por meio de voz, qual aplicativo está sob a mira do ponteiro. http://live.gnome.org/orca) - Tuxtype (jogo educacional de datilografia. http://tux4kids.com) - TDGrux (sistema voltado para o TDG – Transtorno do Desenvolvimento Global (autismo). Tem o intuito de facilitar a interação das crianças com o ambiente, possibilitando maior aproximação das pessoas que as cercam) dentre outros. Principais Características Técnicas: - Sistema Base: Distro Linux Ubuntu, versão: 10.04 (lucid) kernel: 2.6.32-21-generic. Acesse a comunidade Guarux: http://www.softwarepublico.gov.br/ver-comunidade?community_id=66594611 

Erro ao gravar declaração do IRPF 2013 no Ubuntu

Ao tentar fazer minha declaração do Imposto de Renda tive o erro abaixo ao tentar gravar a declaração, procedimento necessário para enviar a declaração para a Receita Federal. A mensagem de erro era:

Ocorreu um erro inesperado e a declaração não foi gravada. Caso o problema persista, entre em contato com a receita federal do Brasil.

Para corrigir, simplesmente alterei as permissões do diretório com sudo chmod 777 -R /home/fabio/ProgramasRFB.

Esse erro ocorre porque o programa da Receita Federal usa a JVM do sistema. O programa fica instalado na home do usuário portanto fica com as permissões do diretório, no meu caso, e no geral, 775. Como a JVM não faz parte do meu grupo, não conseguia escrever na pasta. Bastou alterar as permissões para resolver o problema.

É isso aí, abraço.