Restabelecer Conexão Placa de Rede Debian Wheezy / Kali

Hoje precisei fazer um teste com outra rede e conectei um modem Wi-Fi USB na minha máquina com Kali.

Para ser rápido, baixei a placa de rede da conexão via cabo com ifconfig eth0 down.

Depois de fazer meus testes, não consegui mais usar a eth0! Ao tentar subir a placa com ifconfig eth0 up ou service networking restart, sempre, obtinha o erro:

[....] Running /etc/init.d/networking restart is deprecated because it may not r[warnble some interfaces … (warning).
[....] Reconfiguring network interfaces…RTNETLINK answers: File exists
Failed to bring up eth0.
RTNETLINK answers: File exists
Failed to bring up eth0.
done.

Meu interfaces estava assim:

# The loopback network interface
auto lo eth0
iface lo inet loopback

# The primary network interface
allow-hotplug eth0
iface eth0 inet static

O problema aconteceu, segundo minhas pesquisas, porque o dhclient tentava atribuir um IP para a placa de rede mas o arquivo de configuração dizia que era estático.

Para resolver:

- ip addr flush dev eth0: libera as configurações da eth
- pkill -9 dhclient: mata todos os processos do dhclient
- cat /etc/resolv.conf: verifique o que contém esse arquivo com o comando cat (só mostra na tela o conteúdo do arquivo). Se necessário altere para algo como:
search dominio.com.br (se você não estiver em uma rede que use um gerenciador de domínios, não use essa linha, somente a próxima)
nameserver 8.8.8.8
- service networking restart

Pronto, resolvido.

É isso aí, abraço.

Tecla Delete no Gnome 3

Dica rápida: como ativar a tecla delete no Gnome 3.

Abra o DConf-Editor e marque a opção que está na imagem abaixo:

Captura de tela de 2014-11-03 08:38:41

 

Abra o Nautilus e selecione um arquivo que possa ser apagado.

Selecione Editar na barra superior do Nautilus e posicione o mouse sobre Mover para a Lixeira. Atenção, somente posicione, não clique.

Com o ítem selecionado, clique duas vezes na tecla Delete e será alterada a instrução.

Pronto, você já pode usar a tecla Delete para mover arquivos/pastas para a Lixeira.

É isso aí, abraço.

Linux – Criar Live USB com o comando DD

Dica rápida para criar um Live USB de um sistema GNU/Linux.

Atenção! A responsabilidade por qualquer alteração em seu sistema é só sua. Na dúvida, não faça nada.

Insira o pendrive e verifique onde foi montado com o comando df. Será mostrado algo assim:

fabio@meusistema:~$ df -h
Sist. Arq. Tam. Usado Disp. Uso% Montado em
/dev/sda1 192G 30G 153G 16% /
/dev/sdb1 2,8G 2,8G 0 100% /media/fabio/Ubuntu Live

Vá até o diretório onde está a ISO do sistema que quer gravar com o comando cd (cd /diretorio).

Digite dd if=ubuntu.iso of=/dev/sdb1 bs=512k.

Aguarde um pouco e pronto.

Mas, muito cuidado!

O comando dd server para fazer uma cópia exata (bit a bit) de um arquivo. Se você errar o destino pode sobrescrever algo inadvertidamente.

Sua sintaxe é dd if=origem of=destino. O bs significa block size – serve para dizer qual o tamanho de cada bloco da cópia.

Eu prefiro não ter pressa nesses casos. Uma cópia de qualquer arquivo em uma mídia, seja CD ou pendrive, deve ser lenta para evitar problemas.

Se for alterar o valor do bs, utilize algo factível com o sistema binário como 64k, 128k, 512k, 1M, etc.

É isso aí.

Abraço.

Rotacionar e alterar formato de vídeos no Linux com avconv

O avconv é um arquivo para mexer com arquivos de vídeo.

Há diversas possibilidades mas nesta dica mostrarei como converter formatos e rotacionar vídeos. Muito útil quando você tem um vídeo gravado com celular que ficam com a extensão 3gp e de cabeça prá baixo.

ATENÇÃO: a responsabilidade por qualquer alteração em seu sistema é só sua. Na dúvida, não faça nada!

Primeiro, instale o programa com sudo apt-get install libav-tools. Em seguida, entre no diretório que contém o(s) arquivo(s) que quer editar.

Conselho: faça uma cópia dos arquivos e mantenha-os salvos em outro diretório.

Podemos fazer o procedimento com um arquivo por vez ou vários.

Um arquivo – rotação

avconv -i arquivo_inicial.3gp -vf transpose=1,transpose=1 arquivo_final.mkv

Um arquivo – formato

avconv -i arquivo_inicial.3gp -codec copy arquivo_final.mkv

Vários arquivos – rotação

for f in *.*; do avconv -i arquivo_inicial.3gp -vf transpose=1,transpose=1 arquivo_final.mkv; done

Vários arquivos – formato

for f in *.*; do avconv -i “$f” -codec copy “${f%.*}.mkv”; done

Da maneira acima, o comando pega todos os tipos de arquivos (*.*), ou seja, você pode alterar mp4 e 3gp de uma tacada só. Se houver um arquivo com extensão que nada tem a ver com vídeo (.odt, por exemplo), não será tratado pelo comando.

Na minha opinião, o mais interessante é mover todos os arquivos que serão modificados para um diretório temporário e especificar no comando para onde quer enviar os arquivos finais. Nesse caso, basta acrescentar o nome do diretório antes do nome do arquivo, assim: for f in *.*; do avconv -i “$f” -codec copy “diretorio/${f%.*}.mkv”; done

É isso aí.

Abraço.

Pesquisa Recursiva no Gerenciador de Arquivos Nautilus

Para quem não conhece, o Nautilus é um dos gerenciadores de arquivos do mundo GNU/Linux.

Ele é o padrão do ambiente gráfico Gnome e tem sido usado desde o início por todas as distribuições baseadas em Debian.

A partir da versão 3.6, foi disponibilizado um recurso chamado pesquisa recursiva. Vejam a diferença entre esse tipo de pesquisa e o padrão anterior.

COM PESQUISA RECURSIVA

com_pesquisa_recursiva

SEM PESQUISA RECURSIVA

sem_pesquisa_recursiva

A busca acima, nos dois casos, foi feita em Pasta pessoal / Temp. Qual é a diferença?

A pesquisa recursiva procura o que você digitar a partir do local em que você está, incluindo todos os sub-diretórios abaixo. Sem isso, a busca é feito somente no diretório em que você está.

Eu, particularmente, gostei muito do recurso e uso sempre mas é possível alterar esse padrão usando o DConf-Editor. Este é um programa para gerenciar várias coisas no sistema e deve ser usado com cuidado.

Vamos aos passos.

1) Abra o terminal;
2) Instale o DConf-Editor pois ele não vem instalado por padrão (sudo apt-get install dconf-editor);
3) No Dash, digite dconf-editor para abrir a tela;
4) Selecione org > gnome > nautilus > preferences;
5) A opção enable-interactive-search deve ser desmarcada para permitir o recurso ou marcada para inibí-lo, veja abaixo:

dconfeditor

 

6) Após marcar a opção desejada, digite no terminal nautilus -q para reiniciar o Nautilus (todas as janelas do Nautilus serão fechadas neste momento);
7) Em seguida, ao abrir qualquer janela, o comportamento selecionado já estará habilitado.

Sempre que quiser, esse procedimento pode ser modificado bastando repetir os passos 5 e 6.

Esse procedimento foi realizado com Ubuntu 14.04.

É isso aí.

Abraço.

Teste de Link por Linha de Comando no Linux

Dica rápida para testar sua conexão com a Internet via linha de comando usando o programa speedtest-cli.

Baixar e preparar:

$ wget https://raw.github.com/sivel/speedtest-cli/master/speedtest_cli.py
$ chmod a+rx speedtest_cli.py
$ sudo mv speedtest_cli.py /usr/local/bin/speedtest-cli
$ sudo chown root:root /usr/local/bin/speedtest-cli

Executar:

$ speedtest-cli (só mostra o resultado na tela)

fabio@minhamaquina:~/Temp$ speedtest-cli –share
Retrieving speedtest.net configuration…
Retrieving speedtest.net server list…
Testing from CTBC (200.200.200.200)…
Selecting best server based on latency…
Hosted by Rede Global Telecom (Terra Roxa) [69.21 km]: 27.651 ms
Testing download speed………………………………….
Download: 21.56 Mbits/s
Testing upload speed…………………………………………..
Upload: 8.38 Mbits/s

$ speedtest-cli –share (mostra o resultado na tela e salva como imagem – png – em um servidor público)

fabio@minhamaquina:~/Temp$ speedtest-cli –share
Retrieving speedtest.net configuration…
Retrieving speedtest.net server list…
Testing from CTBC (200.200.200.200)…
Selecting best server based on latency…
Hosted by Rede Global Telecom (Terra Roxa) [69.21 km]: 27.651 ms
Testing download speed………………………………….
Download: 21.56 Mbits/s
Testing upload speed…………………………………………..
Upload: 8.38 Mbits/s
Share results: http://www.speedtest.net/result/3638189104.png

Você também pode obter uma lista de servidores para testar. O programa vai mostrar todos que encontrar e ordenar pelos mais próximos:

fabio@minhamaquina:~/Temp$ speedtest-cli –list
Retrieving speedtest.net configuration…
Retrieving speedtest.net server list…
2238) Convex Internet Solutions (Ribeirao Preto, Brazil) [1.47 km]
2890) Insidesign Tecnologia em Web (Ribeirao Preto, Brazil) [1.47 km]
4653) Rede Global Telecom (Terra Roxa, Brazil) [69.21 km]
1323) Genius Telecom (Araraquara, Brazil) [79.94 km]
3850) Algar Telecom (Franca, Brazil) [81.23 km]

Para fazer o teste apontando para um servidor específico, basta usar o comando abaixo – o número no final identifica o servidor de destino.

fabio@minhamaquina:~/Temp$ speedtest-cli –server 935
Retrieving speedtest.net configuration…
Retrieving speedtest.net server list…
Testing from CTBC (200.200.200.200)…
Hosted by Speedtest.net (Washington, DC) [7339.77 km]: 420.053 ms
Testing download speed………………………………….
Download: 12.28 Mbits/s
Testing upload speed…………………………………………..
Upload: 2.78 Mbits/
s

A opção de gerar imagem também pode ser usada com o comando acima, basta adicionar –share no final:

fabio@minhamaquina:~/Temp$ speedtest-cli –server 935 –share

Testado em Ubuntu, somente. Se eu não informar nada diferente nos próximos dias é por que vale para qualquer distro Linux.

É isso aí. Abraço.

Instalar e configurar Wireshark no Ubuntu

Dica rápida.

Estou estudando para ser um Administrador de Redes e um dos programas que já vi em uso na faculdade e estou começando a testar é o Wireshark.

Ele monitora o tráfego da rede, notadamente, os protocolos de cada pacote que passa pelas interfaces de rede.

Para instalar no Ubuntu, siga os passos abaixo:

Atenção! A responsabilidade por qualquer alteração em seu sistema é só sua. Na dúvida, não faça nada.

  • sudo apt-get install libcap2-bin wireshark
  • sudo chgrp nomedosusario /usr/bin/dumpcap
  • sudo chmod 750 /usr/bin/dumpcap
  • sudo setcap cap_net_raw,cap_net_admin+eip /usr/bin/dumpcap

Claro, troque nomedosusario pelo seu nome de usuário no sistema.

É isso aí, abraço.